Topo

Ensino religioso em sala de aula

A Educação Adventista está compromissada com a excelência educacional. Mas sua missão vai muito além do ensino. Ela preza pelos valores e os princípios cristãos promovidos no ambiente escolar. O conhecimento que oferece essa base prática é o Ensino Religioso, disciplina que integra a grade curricular das unidades da rede.

Fábio Fialek é pastor da maior Escola Adventista no Sul do Brasil, localizada em São José dos Pinhais, PR. São mais de 1500 alunos que aprendem sobre esperança nas aulas teóricas e práticas semanais. Para ele, o Ensino Religioso é muito mais do que histórias bíblicas. “Quando falamos sobre o Ensino Religioso e sua relevância, a gente fala sobre a formação de princípio e construção de caráter, sobre coisas que promovem o bem-estar, a felicidade do aluno. A matéria contribui para ajudar a desenvolver o olhar mais crítico daquilo que é oferecido e ter a condição de perceber quais são as consequências de cada decisão”, enfatiza.

A disciplina não se restringe aos que seguem o adventismo. Pelo contrário, ela envolve todos os alunos, independente de religião ou crença. Ela busca mostrar o princípio básico para uma vida melhor. Nesse aspecto, a Bíblia contribui diretamente nas situações do dia a dia. “É interessante perceber como ela é versátil. Independente do tema que precisamos falar, a Bíblia consegue nos ajudar, sendo um fator de complementação sempre comunica uma mensagem a mais”, analisa Fábio.

Entretanto, a disciplina apresenta desafios para aqueles que a lecionam. A constante atualização dos conteúdos e aulas com uma didática atrativa são alguns deles. “Por vezes aquilo que usei ano passado já não serve mais. O modismo, a maneira de olhar o mundo e de encarar a vida mudam. Para atingir o nosso objetivo, precisamos entrar no mundo dos alunos e utilizar a linguagem deles, para que seja aceitável e atrativo. Se negar a se atualizar é limitar o nosso poder de influência ou talvez até acabar com ele”, acredita o pastor escolar.

Para que o aprendizado não fique só na teoria, a disciplina preza por atividades extraclasse que demonstrem o diferencial dos valores e princípios na vida do aluno. Para isso, Fábio explica que a escola desenvolve projetos de ajuda, amor ao próximo e de relevância para a comunidade. “Introduzimos campanhas de doação de roupas e alimentos, atividades comunitárias de acordo com a necessidade das pessoas ao redor, além de usarmos o Geração 148 (um programa para os jovens), feito com frequência com atividades de participação bem ampla dos alunos, mostrando mudanças visíveis na maneira de pensar ou sobre o seu papel no meio da comunidade”, diz Fábio, e ainda acrescenta: “Uma ação vale mais do que mil palavras. Viver a ação é possibilitar ao aluno a compreensão que ele pode fazer a diferença, que ele pode ser a diferença”, conclui.

Jéssica Guidolin

Formada em Jornalismo e pós-graduada em Comunicação e Marketing. Trabalha como assessora de comunicação na sede da Igreja Adventista para o Sul do Brasil.

Sem comentários
Adicionar comentário
Name*
Email*
Website