Topo

Curso técnico ou superior?

Qual é o melhor: curso técnico ou superior? A resposta, na verdade, depende de vários fatores. E o primeiro deles é responder outra pergunta: Você quer ganhar dinheiro logo ou está sem pressa?

O ensino técnico tem algumas vantagens em relação ao superior. Uma delas é o rápido retorno financeiro. Por se tratar de um treinamento de curta duração – em torno de dois anos – e por ser uma profissão especializada, a contratação costuma ser quase que imediata após a conclusão dos estudos, dependendo do curso escolhido.

Segundo dados do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), cerca de 70% dos alunos já saem com a carteira assinada após a formatura. Além disso, as áreas técnicas oferecem bons salários. O diretor do Senai no Espírito Santo, Robson Cardoso, afirma que, em alguns cargos, o jovem chega a ganhar R$ 2.100 por mês, mais benefícios. Em algumas empresas, a bolsa-auxílio oferecida aos estagiários técnicos é maior do que as oferecidas aos que têm nível superior.

Isso sem contar que, quem passa por alguma escola técnica federal, como os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, garante boa base para enfrentar o vestibular e complementar os estudos com uma faculdade.

Por outro lado, se sua meta é ser chefe ou alcançar logo um posto de gestor, com salários mais altos, e abrir as portas para o mestrado e o doutorado, então, o caminho a seguir é o do ensino superior. Por se tratar de uma atividade generalista, o campo de atuação é muito maior, bem como a quantidade de candidatos que disputam uma vaga no mercado de trabalho.

A faculdade também amplia o status do profissional em concursos públicos. Em alguns órgãos, quem possui diploma superior tem ótima remuneração. Nas empresas privadas não é diferente. Um jovem universitário recém-formado na área ambiental, por exemplo, chega a ganhar entre R$ 3 mil e R$ 4 mil. Em alguns cargos de gerência, esse valor sobe para R$ 15 mil mensais.

E agora, ficou em dúvida sobre qual curso escolher? Não se preocupe. Segundo especialistas em carreira, em média, um profissional passa por até cinco profissões antes de se aposentar. Há médicos que resolveram ser empresários, advogados que hoje são artesãos, administradores que viraram dentistas, mecânicos que agora são fisioterapeutas e por aí vai.

Se você fizer algo de que realmente gosta e orar pedindo a Deus a orientação certa para sua vida, não tenha medo de seguir em frente, porque quem investe em educação não perde tempo, mas ganha conhecimento, e isso, no competitivo mercado, é fundamental em qualquer área de atuação.

 

Autoria: Cristiano Stefenoni – Jornalista, consultor de carreiras e autor do livro 
Profissional de Sucesso (Casa).
Fonte: Adaptado de Revista Conexão 2.0 – 2º trimestre/2010.
Imagem: strichfiguren.de / Fotolia
Revista Conexão 2.0
Sem comentários
Adicionar comentário
Name*
Email*
Website