Topo

Congresso destaca liberdade, respeito e esperança

Na manhã do dia 12 de setembro, a Rede de Escolas Adventistas realizou o primeiro Congresso On-line envolvendo 60 mil estudantes do Ensino Médio de oito países da América do Sul. A programação foi transmitida diretamente da sede da Divisão Sul Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia (DSA), entidade mantenedora da rede, localizada em Brasília, DF.

O evento, transmitido em português e espanhol, contou com apresentadores da TV Novo Tempo e a participação de estudiosos no assunto e proporcionou muita troca de conhecimento e interação entre as 250 unidades escolares de diversas regiões que estavam conectadas acompanhando o congresso.

Os colégios enviaram fotos dos auditórios que assistiam ao evento. Eles concorreram a brindes como hoverboards e drones para sortear entre os alunos. Nas redes sociais, a hashtag #Origens alcançou no Brasil os Trending Topics do Twitter (assuntos mais comentados). O assunto envolveu centenas de tuítes e compartilhamentos de mensagens de estudantes, professores e escolas.

O primeiro palestrante do Congresso foi o pastor Erton Köhler, presidente da DSA. Ele abordou a importância da liberdade e do respeito como base para a discussão de opiniões ou crenças diferentes, como a visão criacionista e evolucionista.  “Se fossemos contra a ciência, ou quiséssemos gente academicamente limitada nós não teríamos uma rede de educação ensinando as pessoas a pensar”.

De acordo com Erton Köhler, ser academicamente relevante não significa anular a mensagem bíblica da criação, e afirmou que o problema do mundo hoje não é a ciência, é a falta de esperança. “Quem não conhece o começo não entende o final”, razão pela qual a abordagem de um congresso com o tema Origens. Ele motivou os alunos a usarem a mensagem da criação para renovar a esperança e encerrou a mensagem citando 1 Coríntios 15:19: “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a essa vida somos os mais infelizes dos seres humanos”.

Durante as palestras com os especialistas, os estudantes foram motivados a buscar conhecimento sobre aquilo em que acreditam. Para Marcos Natal, doutor em Geologia pela UNESP e diretor do
Núcleo de Estudos das Origens (NEO), devemos olhar para as dúvidas como desafios. “As dúvidas fazem parte da ciência, mas isso não quer dizer que a nossa crença está comprometida”.

Segundo Wellington dos Santos Silva, doutor Genética Humana pela UnB e diretor do Museu de Ciências Naturais da FADBA, precisamos perceber que a natureza está repleta de sinais do Criador. “Quando faço ciência eu me sinto mais próximo de Deus. Infelizmente têm pessoas que defendem uma ideia contrária, mas na realidade, quando começamos a estudar a fundo percebemos que existem muito mais evidências para nós acreditarmos em um Deus criador”.

O professor Wellington mencionou ainda que o criacionismo foi fundamental para o surgimento da ciência e apontou o exemplo de Isaac Newton, Galileu Galilei e Johannes Kepler, gênios criacionistas que lançaram as bases da ciência moderna.

Vinícius Garcia Metzker, pós-graduado em ciências naturais, explicou a diferença entre macro e microevolução e destacou que não há registro de transição entre espécies em uma macroevolução. Já a produtora e apresentadora da TV Novo Tempo, Giannina Invernizzi, falou sobre o programa Origens, atração que busca mostrar evidências encontradas em diversos lugares do mundo. Em sua palestra, a jornalista mostrou curiosidades e muita informação sobre a Islândia, país com mais de 100 vulcões ativos e único lugar do mundo onde se pode ver sobre a superfície a separação entre duas placas tectônicas: a norte-americana e a europeia.  

 


LANÇAMENTO – O pastor Rafael Rossi, líder de comunicação da Divisão Sul Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia (DSA), anunciou o lançamento de uma ferramenta digital para ajudar a aprofundar o conhecimento sobre a Bíblia: é o aplicativo 18 Histórias que apresenta narrativas bíblicas ilustradas com uso de animação 3D e possibilita tirar dúvidas on-line.


 

O último palestrante do congresso foi o pastor Marlon de Souza Lopes, tesoureiro da DSA, que falou sobre os critérios da escolha profissional e como isso pode influenciar no futuro. Segundo ele, a escolha de uma carreira bem-sucedida tem a ver com a busca em deixar um legado, em servir, ideia contrária ao evolucionismo social. “Quando você coloca por base: ter, possuir, dominar e eliminar como base da sua vida, as pessoas perdem o significado para você. Você perde os valores éticos e morais que são a base da relação entre as pessoas”.  O pastor destacou ainda a importância do voluntariado. “Quando terminar a sua carreira a vida terá mais significado”.

De acordo com o líder de Educação da DSA, pastor Edgard Luz o Congresso On-line Origens foi um dia para celebrar. “Estamos celebrando a vida. A vida que o Criador nos deu. Uma vida que Ele quer eternizar”.

 

Reveja a programação:

 

Olivandro Maia

Equipe CPB Educacional.

Sem comentários
Adicionar comentário
Name*
Email*
Website